Lá vem a força, lá vem a magia
Que me incendeia o corpo de alegria
Lá vem a santa maldita euforia
Que me alucina, me joga e me rodopia
Lá vem o canto, o berro de fera
Lá vem a voz de qualquer primavera
Lá vem a unha rasgando a garganta
A fome, a fúria, o sangue que já se levanta
De onde vem essa coisa tão minha
Que me aquece e me faz carinho?
De onde vem essa coisa tão crua
Que me acorda e me põe no meio da rua?

Raça (Milton Nascimento/Fernando Brant) – Milton Nascimento

Ando tomando muitos tropeços na vida, principalmente nesse ano de 2009, mas essa força que existe dentro de mim não me deixa parar, não me deixa abater e sempre me dá um norte. E é assim que eu continuo, sempre, sempre e sempre… =)

Anúncios