Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranquila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
e tudo se acabar na quarta-feira

A felicidade (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) – Gal Costa

Hoje acordei de madrugada, sobressaltada, com a notícia do falecimento do pai de um amigo meu, muito, muito, muito querido… E, eu, como pisciana que sou, fiquei muito mexida, não consegui mais pegar no sono direito e só pensava: que merda, logo hoje pro meu carro quebrar… Estava de mãos atadas, sem carro, e querendo de qualquer jeito dar força pra ele.

Fiquei revirando na cama, dormi um sono inquieto, cheio de pesadelos e interrupções. Até que, quando acordei, falei com outra amiga querida, que mora aqui perto, e que vai me emprestar o carro pra que eu vá até o velório, enterro etc. – no ABC Paulista. É algo que eu não tinha como abrir mão, nem que eu fosse de táxi, mas eu precisava estar lá ao lado dele, como ele já esteve do meu lado na hora que precisei, assim como esteve comigo num dos momentos mais felizes da minha vida…

Mas é isso mesmo, a gente vai seguindo a vida assim, tropeçando, caindo, levantando, tomando no lombo e rindo em seguida e vamos sempre mantendo o curso. Agora tô indo pro ABC e não sei que horas volto…

Anúncios