A grande paixão
Que foi inspiração
Do poeta é o enredo
Que emociona a velha-guarda
Lá na comissão de frente
Como a diretoria
Glória a quem trabalha o ano inteiro
Em mutirão
São escultores, são pintores, bordadeiras
São carpinteiros, vidraceiros, costureiras
Figurinista, desenhista e artesão
Gente empenhada em construir a ilusão
E que tem sonhos
Como a velha baiana
Que foi passista
Brincou em ala
Dizem que foi o grande amor de um mestre-sala
O sambista é um artista
E o nosso Tom é o diretor de harmonia
Os foliões são embalados
Pelo pessoal da bateria
Sonho de rei, de pirata e jardineira
Pra tudo se acabar na quarta-feira
Mas a quaresma lá no morro é colorida
Com fantasias já usadas na avenida
Que são cortinas, que são bandeiras
Razão pra vida tão real da quarta-feira
É por isso que eu canto

Pra Tudo se Acabar na Quarta-Feira – Martinho da Vila

Acabou… Carnaval passou, a Portela beirou o rebaixamento, mas se livrou e acabou em 11º. Porém, pela primeira vez eu vi a justiça ser feita pela Liga das Escolas de Samba e de fato venceu a melhor, aquela que encantou o público, os críticos e o mundo todo com seu enredo sobre o segredo, com sua comissão de frente fazendo mágica, com o fogo à biblioteca de Alexandria. E a Liesa deu a Paulo Barros o título que ele merecia em 2007, quando estava na Viradouro e fez um lindíssimo desfile sobre os jogos, e que lhe foi tomado na mão grande. O cara é um puta carnavalesco, inovador, de bom gosto e que sempre busca coisas que deixam o público boquiaberto. Merecidíssimo o título de 2010 ir para a Unidos da Tijuca. A escola era uma unanimidade e todo mundo ficou bem feliz com essa vitória. Parabéns, Paulo Barros!!! Parabéns, Tijuca!!! E que venham tantos outros desfiles encantadores como esses…

Anúncios