E me fala de coisas bonitas
Que eu acredito
Que não deixarão de existir
Amizade, palavra, respeito
Caráter, bondade alegria e amor
Pois não posso
Não devo
Não quero
Viver como toda essa gente
Insiste em viver
E não posso aceitar sossegado
Qualquer sacanagem ser coisa normal

Bola de meia, bola de gude
O solidário não quer solidão
Toda vez que a tristeza me alcança
O menino me dá a mão
Há um menino
Há um moleque
Morando sempre no meu coração
Toda vez que o adulto fraqueja
Ele vem pra me dar a mão

Bola de meia, Bola de Gude – Milton Nascimento

Hoje foi a estreia do Brasil na Copa de 2010. Vitória magrinha que somou os 3 pontos, mas não convenceu ninguém. Por enquanto, a seleção de Dunga continua como há pouco mais de um mês, quando ele anunciou a convocação e deixou meio mundo descontente. Mas somos brasileiros, não desistimos nunca e ainda temos esperança.

Vivemos no País do Futebol, que come, bebe e respira esse esporte e que em dia de Copa do Mundo pára. Na hora do jogo parece cidade fantasma de filme de faroeste. É como se o mundo parasse e nada mais existisse. E vai ser sempre assim, não vai mudar.

Um país pobre, que ainda assim consegue manter sempre o sorriso no rosto e transformar uma bola de meia num meio para demonstrar talento. Um lugar que apesar de toda a injustiça e desigualdade, consegue acreditar que as coisas vão acontecer da melhor possível e que apesar de já ter passado pela mão de tanta gente escrota, ainda é um país menino, que tem sonhos, acredita e que não pode “aceitar sossegado qualquer sacanagem ser coisa normal”.

É um país feliz, apesar de todos os tropeços, e que mesmo diante de tanta coisa ruim que tem acontecido, ainda me faz ter fé num futuro melhor pra todos nós, brasileiros. Num futuro mais justo e feliz, onde o futebol seja muito mais que o ópio do povo – que seja apenas mais uma das muitas razões que o brasileiro tem para botar um sorriso no rosto e bater no peito com orgulho de sua pátria. Eu acredito nesse Brasil melhor e batalho por isso. =)

Anúncios