You are currently browsing the monthly archive for março 2011.

Tanto choro e pranto
A vida dando na cara
Não ofereço a face nem sorriso amarelo
Dentro do meu peito uma vontade bigorna
Um desejo martelo
Tanto desencanto
A vida não te perdoa
Tendo tudo contra e nada me transtorna
Dentro do meu peito um desejo martelo
Uma vontade bigorna

Martelo Bigorna – Lenine

Hoje eu tive, eu precisei… Era uma obrigação para com a música brasileira de qualidade. Isso por conta do resultado do Melhores do Ano do Domingão do Faustão. Que é só a constatação de como o brasileiro vota mal em toda e qualquer instância: é em eleições, referendo, BBB, A Fazenda, Multishow, VMB e por aí vai. No Melhores do Ano é que não seria diferente…

Pra começar que eu achei desonroso colocarem o Lenine concorrendo ao lado de Rebolation e Meteoro da Paixão. Sério, chega a ser ofensivo… E é claro que, desde o começo eu sabia que as taliFãs do Luan Santana fariam com que a canção dele saísse vencedora. E é óbvio que quem coloca Lenine na mesma panela de Parangolé e Luan Santana não pode ter a mínima noção do que é música, de melodia, de poesia, de ritmo e de mais nada nessa vida.

A canção do Lenine que concorria era Aquilo que dá no coração, mas eu resolvi fazer o post com outra, porque acho Martelo Bigorna mais contundente e escolhi um trecho que passa bem a mensagem que eu queria. E acho que é bem o que o Lenine deve ter pensado/sentido, porque é um puta músico, puta compositor, brilhante, e ali, tendo que concorrer ao lado da escória musical da atualidade. E certeza que ele deve pensar que é isso, que tendo tudo contra, nada vai mudar mesmo, ele tem que seguir com aquele desejo contundente dentro de si, de continuar fazendo o que sabe fazer de melhor, mesmo tomando na cara, levando porrada e tendo que passar por situações como essa.

E eu sou muito assim, se eu acredito, eu vou a luta, até a minha última gota de sangue. Sou dessas que dá murro em ponta de faca. Sempre ouvi dos meus pais, desde criança, que o que mais impressionava neles a respeito de mim era a minha determinação, de nunca ter deixado de batalhar por aquilo que eu queria. Sempre fui, firme no que queria, mesmo tendo absolutamente nada a meu favor e eu acho que a mensagem de Martelo Bigorna é bem essa: de luta, de garra e de determinação. E essa é a sina dos amantes da boa música diante de um país tão desconhecedor de seus reais talentos.

Anúncios

Acabou chorare, ficou tudo lindo
De manhã cedinho
Tudo cá cá cá, na fé fé fé
No bu bu li li, no bu bu li lindo
No bu bu bolindo
No bu bu bolindo
No bu bu bolindo
Talvez pelo buraquinho
Invadiu-me a casa
Me acordou na cama
Tomou o meu coração
E sentou na minha mão
Abelha, abelhinha…
Acabou chorare
Faz zunzum pra mim
Faz zunzum pra eu ver
Abelho, abelhinha
Escondido faz bonito
Faz zunzum e mel
Faz zum zum e mel
Faz zum zum e mel
Inda de lambuja
Tem o carneirinho
Presente na boca
Acordando toda gente
Tão suave mé, que suavemente
Abelha, carneirinho…
Acabou chorare
No meio do mundo
Respirei eu fundo
Foi-se tudo pra escanteio
Vi o sapo na lagoa
Entre nessa que é boa
Fiz zunzum e pronto
Fiz zum zum e pronto
Fiz zum zum

Acabou chorare (Galvão – Moraes Moreira) – Novos Baianos

Essa é daquelas músicas que eu escuto desde criança com o meu pai, sabe! E adoro… Tentei escolher um trecho e não consegui, por isso enfiei ela completa goela abaixo de vocês. Mas o fato é que a música toda me dá um sentimento tão bom, uma paz, um alto-astral…

Esse trechinho talvez pelo buraquinho, invadiu-me a casa, me acordou na cama. Tomou o meu coração e sentou na minha mão, é bem isso, da energia que chega e te toma e te faz feliz, naquele momento em que a música toca e que, às vezes, tem a capacidade de se irradiar pelo resto do seu dia, te fazendo um bem enorme. E foi isso que Acabou Chorare fez por mim hoje e que eu queria compartilhar com vocês.

Ah, que bom você chegou
Bem-vindo a Salvador
Coração do Brasil (do Brasil)
Vem, você vai conhecer
A cidade de luz e prazer
Correndo atrás do trio
Vai compreender que o baiano é
Um povo a mais de mil
Que ele tem Deus no seu coração
E o Diabo no quadril
We are Carnaval
We are folia
We are the world of Carnaval
We are Bahia

We are Carnaval (Nizan Guanaes) – Asa de Águia (e nesse caso com Ivete Sangalo)

Quem acompanha esse blog sabe que eu amo Carnaval, que sou Portela desde criança e que deve ter bem estranhado o motivo de eu não ter postado nada durante esse período que eu tanto amo. Então, eu explico melhor e com todos os detalhes
aqui
. Mas a música que TINHA de ilustrar esse momento é essa. Que eu amo há muito tempo e que pra mim é um hino da Bahia – minha segunda terra, e lugar tão representativo pra mim.

Mas nem vou me alongar muito. Vale mais a pena ler lá no Teia de Renda, onde tudo tá bem mais detalhadinho. =)

Instagram

Simples Desejo (Daniel Carlomagno e Jair Oliveira) - Luciana Mello #mpb #lucianamello #jairoliveira

Isso é um mantra diário, sempre que algo vem pra azucrinar e tirar a minha paz. 😊 Cajuína - Caetano Veloso (mas eu gosto bem mais na voz da Gal Costa) - é uma música linda, lindíssima, curtinha e maravilhosa, que sempre, sempre, sempre me arranca lágrimas. Caetano a compôs em homenagem ao amigo Torquato Neto, que foi junto com ele um dos fundadores do Tropicalismo, e que se suicidou no começo da década de 70.  #MPB #tropicalismo #caetanoveloso #galcosta #torquatoneto Ê, povo, ê - Gilberto Gil #MPB #GilbertoGil - música que tá tocando em looping na minha semana desde domingo. Código de acesso (Itamar Assunção) - Zélia Duncan #MPB #zéliaduncan #itamarassunção Eu nunca te amei idiota (Alvin L.) - Ana Carolina #MPB #rocknacional #anacarolina Sobre o tempo (John) - Pato Fu #patofu #rocknacional #fernandatakai Dê um rolê (Moraes Moreira) - Novos Baianos #NovosBaianos #MPB Caçamba (Éfson e Odibar) - Molejo #samba #pagode #molejo Viva (Kledir Ramil) – Kleiton e Kledir #MPB #kleitonekledir
Simples Desejo (Daniel Carlomagno e Jair Oliveira) - Luciana Mello #mpb #lucianamello #jairoliveira

Isso é um mantra diário, sempre que algo vem pra azucrinar e tirar a minha paz. 😊