O cérebro eletrônico faz tudo
Faz quase tudo
Faz quase tudo
Mas ele é mudo

O cérebro eletrônico comanda
Manda e desmanda
Ele é quem manda
Mas ele não anda

Só eu posso pensar
Se Deus existe
Só eu
Só eu posso chorar
Quando estou triste
Só eu
Eu cá com meus botões
De carne e osso
Eu falo e ouço. Hum

Eu penso e posso
Eu posso decidir
Se vivo ou morro por que
Porque sou vivo
Vivo pra cachorro e sei
Que cérebro eletrônico nenhum me dá socorro
No meu caminho inevitável para a morte
Porque sou vivo
Sou muito vivo e sei

Que a morte é nosso impulso primitivo e sei
Que cérebro eletrônico nenhum me dá socorro
Com seus botões de ferro e seus
Olhos de vidro

Cérebro eletrônico (Gilberto Gil) – Marisa Monte

Quem me acompanha pelo Teia de Renda sabe que eu tô “sem” note. Por isso estou funcionando sem meu cérebro eletrônico e por conta disso estou completamente atrasada com meu cronograma de postagem. Mas pelo que vimos o Deal Extreme já postou minha nova fonte e em duas semanas devo voltar ao ritmo normal. E que assim seja… ;)

365/42

Meu amor
O que você faria se só te restasse um dia?
Se o mundo fosse acabar
Me diz o que você faria

Ia manter sua agenda
De almoço, hora, apatia
Ou esperar os seus amigos
Na sua sala vazia

O último dia – (Paulinho Moska e Billy Brandão) – Paulinho Moska

O assunto do dia é a queda de meteoritos ontem/hoje na região dos Urais, na Rússia e aquele temos de fim de mundo volta a ser pauta, como foi no final do ano passado. E aí ao passo que uns fazem piadinhas, há os que ficam temerosos com um possível fim do mundo. Mas a gente precisa é parar e refletir sobre como seria nosso final de existência, caso ela fosse mesmo anunciada. O que poderíamos ter melhorado? O que sempre quisemos fazer e nunca colocamos em prática? O quanto colaborei para que esse mundo e a própria humanidade fosse melhor? Acho que esse é o tipo de questionamento super válido e que deveríamos nos fazer de tempos em tempos, só pra termos certeza de que estamos seguindo por um caminho que nos dê algum tipo de orgulho e não deixe um rastro de arrependimentos e destroços para trás.

Penso que se o mundo acabasse hoje, eu estaria satisfeita com muito do que fiz e tenho feito, mas chateada por não ter batalhado por alguns sonhos que fui abandonando no caminho. Entrei em 2013 com muito foco de retomar vários desses sonhos para que a minha existência nesse mundo seja mais plena. Acho que nossa missão nesse mundo é essa, né!

365/41

Meu coração tá batendo
Como quem diz não tem jeito
Zabumba, bumba esquisito
Batendo dentro do peito

Teu coração tá batendo
Como quem diz não tem jeito
O coração dos aflitos
Batendo dentro do peito

Coração bobo, coração bola
Coração balão, coração São João
A gente se ilude dizendo
Já não há mais coração

Coração bobo – Alceu Valença

Posso dizer que boa parte do meu amor e da minha relação tão íntima com a música é “culpa” do meu pai. Meu pai sempre gostou de música da melhor qualidade (tudo tem sua exceção e ele gosta de Tom Zé – argh!) e me fez conviver com esse excelente gosto musical desde pequena. Tanto que na adolescência, eu era das poucas adolescentes que amavam MPB.

E meu pai sempre conta que essa música do Alceu Valença foi a primeira que eu cantei na vida, por isso ela sempre vai ter um lugar especial na minha história, e na dele também. Por isso, hoje, “primeiro dia do ano” eu venho partilhar com vocês essa batida tão gostosa com que Alceu nos brindou. ;)

365/40

Mas iremos achar o tom
Um acorde com lindo som
E fazer com que fique bom
O utra vez o nosso cantar
E a gente vai ser feliz
Olha nós outra vez no ar
O show tem que continuar

O show tem que continuar (Arlindo Cruz/Sombrinha/Luiz Carlos da Vila) – Fundo de Quintal

Minhas suspeitas confirmadas, minha Portela mais uma vez permanece na fila, mas ao menos ganhou a Vila Isabel que fez um desfile lindíssimo e fechou com chave de ouro o segundo dia. A Portela é super tradicionalista, tem um virtuosismo que apaixona, mas que muitas vezes a prejudica, porque é difícil lutar sem armas num cenário onde os adversários vem armados até os dentes. Desfiles cada vez mais luxuosos, com efeitos e defeitos especiais, acabam ofuscando o que deveria ser exaltado, que é o samba, a beleza de uma comunidade se unindo por um objetivo comum. O Carnaval há muito tempo virou uma máquina de dinheiro, onde o samba em si, e as tradições foram renegados e estão em segundo plano.

A única coisa que me deixa feliz é que ganhou um samba muito bonito, de uma escola que tem história e comunidade envolvida, e não os fru-frus e efeitos do Paulo Barros, que encanta principalmente aqueles que não se importam com o verdadeiro espírito carnavalesco. Parabéns, Vila Isabel! E Portela, vamos em frente, focados nesse samba de Arlindo Cruz, porque o show tem que continuar mesmo, e logo mais a gente acha o tom. ;)

365/39

Minha carne é de Carnaval
O meu coração é igual

Aqueles que têm uma seta
E quatro letras de amor
Por isso onde quer que
Eu ande em qualquer pedaço
Eu faço
Um campo grande
Um campo grande
Um campo grande iê
Um campo grande iê

Eu não marco toca
Eu viro toca
Eu viro moita

Swing de Campo Grande (Paulinho Boca de Cantor, Morais Moreira e Luiz Galvão) – Novos Baianos

O triste mesmo é sabermos que só tem um Carnaval por ano (e que ele passa tão rápido) e que agora temos que esperar até 2014 para poder curtir essa folia (e seja lá qual a maneira que você escolhe para aproveitar a época). Eu como boa brasileira, soteropaulistana são um ser que gosta de Carnaval, mesmo nos casos em que eu passo em casa assistindo aos desfiles pela TV, como foi o caso desse ano. Tenho lembranças fantásticas de Carnavais que curti desde bem pequena, eu que já pulei Carnaval na rua, em clubes, já desfilei em escola de Samba em São Paulo, já fui pra loucura do Carnaval de Salvador, só me falta sair no Bola Preta e desfilar na Portela pra ter um leque bem completinho – e o Rio que me aguarde, porque eu não morro sem completar esse circuito carnavalesco na minha vida. Agora é esperar as apurações, ver como ficam as minhas amadas Portela e Nenê – Nenê é um amor mais recente, mas que traz o mesmo azul e branco que sempre moraram em meu coração. <3

365/38

E lá vou eu cantando com a minha viola
O amor tem seus mistérios
Por onde me deixo levar
Laiá
Nossa história começa por lá
No engenho da fazenda
Dos cantos de “canaviá”

Bate o sino da capela
Ôi… que é dia de santo, sinhá

Tem mironga de jongueiro
O tambor me chamou pra dançar

Tempo rodou na roda do trem e veio
A inspiração do partideiro
Que versou no Mercadão
Foi nesse chão
Que a estrela brilhou no tablado
O “Madura” pisou no gramado
O malandro charmoso dançou
No pagode com outro gingado
Quando o bloco chegou
Agitou o suingue do black
E a nega baiana girou

Cai na folia, sem grilo, meu bem vem na fé
Na ilusão da fantasia
Vai como pode quem quer

Surgiu a serrinha imperial
Em outros caminhos para o mesmo ritual
Portela, meu orgulho suburbano
Traz os poetas soberanos nesse trem para cantar
Que Madureira é muito mais do que um lugar
É a capital de um sonho que me faz sambar

Abre a roda, chegou Madureira
A poeira já vai levantar
O batuque ginga ioiô
Ginga iaiá

Madureira… Onde o meu coração se deixou levar (Wanderley Monteiro, Luiz Carlos Máximo, André do Posto 7 e Toninho Nascimento) – G.R.E.S. Portela

Minha Portela fechou ontem o primeiro dia de desfile do Rio, e foi lindo!!! É gritante o quanto há uma diferença dela pra várias outras escolas grandes que fizeram enredos patrocinados, o quanto as alegorias eram mais simples, mas o que ninguém tira da Portela é o amor e o envolvimento da comunidade ao seu redor, e isso é ímpar. Um enredo lindo, contando a história do bairro onde a escola surgiu, e fazendo uma justa homenagem a Paulinho da Viola, que completa 70 anos. A escola toda cantando, dançando, emocionada. E a gente ainda tem a primeira e única Velha Guarda de verdade, figuras lindas e icônicas emocionando todo portelense: Monarco, Suriquinha, Dodô e tantos outros que fazem parte da história desse amor em azul e branco.

Eu acho que a gente não leva, que ficaremos mais um ano na fila, mas acho que o desfile foi lindo, emocionante e em vários momentos trouxe lágrimas aos meus olhos e por isso abre a roda, chegou Madureira… <3

365/37

Se tu fores na Portela
Tudo encontrarás
Alegria, tudo de bom, amor
Ouvirás as nossas poesias
E um turbilhão de melodias
Desaparecem suas mágoas, linda flor
Ora, vem comigo, amor

Se tu fores na Portela
Aonde a beleza seduz
Tem uma bandeira azul e branca
Que representa Oswaldo Cruz
Tudo na Portela é um esplendor
Desaparecem suas mágoas, linda flor

Se tu fores na Portela (Ventura) – Velha Guarda da Portela

Sempre que quero postar alg sobre a Portela, me vem a vontade clichê de postar Foi um rio que passou em minha vida de tão bem que sinto meu amor descrito naqueles versos de Paulinho da Viola. Hoje à noite (na verdade, tecnicamente amanhã) tem Portela na avenida, tem meu coração mostrando que o amor é azul e branco, tem minha águia impondo respeito na Sapucaí. E que 2013 venha para colocar fim nesse jejum tão longo que a escola vem sofrendo.

Ah, me fala o que é a Velha Guarda dessa minha escola? E o Monarco? É um amor e orgulho tão grande que nem sei explicar.

Amanhã volto para tecer minhas considerações… ;)

365/36

Não se perca de mim
Não se esqueça de mim
Não desapareça
A chuva tá caindo
E quando a chuva começa
Eu acabo de perder a cabeça
Não saia do meu lado
Segure o meu pierrot molhado
E vamos embolar
Ladeira abaixo
Acho que a chuva
Ajuda a gente a se ver
Venha, veja, deixa
Beija, seja
O que Deus quiser…

A gente se embala
Se embora, se embola
Só pára na porta da igreja
A gente se olha
Se beija, se molha
De chuva, suor e cerveja

Chuva, suor e cerveja – Caetano Veloso

Caetano já foi genial, hoje é um velho, chato, ranzinza, reclamão e com complexo de menino prodígio, mas já nos brindou com verdadeiras pérolas, e deixou um legado fantástico da enorme fase em que realmente foi um prodígio. Pra mim ela se encerra ainda no começo dos anos 90, com o disco Livros, depois de então ele ficou intragável.

Mas vamos voltar pra assunto bom e pra música do dia, Chuva, suor e cerveja é um primor do primeiro ao último verso, a sonoridade das palavras fazendo chiado de chuva, o ritmo frevado, e que transformou esse num verdadeiro hino de Carnaval. Uma pena que no Blip não havia liberada a versão original, que eu adoro, e acabei linkando uma do Caetano no trio, ao lado do Jammil. Mas o que importa é curtir a música, né… ;)

365/35

Ah, que bom você chegou
Bem-vindo a Salvador
Coração do Brasil (do Brasil)
Vem, você vai conhecer
A cidade de luz e prazer
Correndo atrás do trio
Vai compreender que a baiano é:
Um povo a mais de mil
Ele tem Deus no seu coração
E o Diabo no quadril
We are Carnaval
We are folia
We are the world of Carnaval
We are Bahia

We are Carnaval (Nizan Guanaes) – Asa de Águia

Porque ontem zapeando pelos canais vi um pouquinho da cobertura do Carnaval de Salvador, mostrando o Psy, fazendo propaganda da Gillette, e não adianta, quando se trata de Salvador, meu coração de soteropaulistana sempre bate mais forte. E me deu muita vontade de estar lá, seja dentro do circuito como em 2011 ou fora, fugindo dos roteiros tradicionais. Eu sou uma pessoa que ama Carnaval, desde os carnavais de clube que pulei na infância e adolescência, os de rua, os de trio, os de desfiles de escola de samba. Eu amo isso tudo, mesmo que acompanhe de longe, pela tela da televisão, como estou fazendo esse ano. Mas sou um ser-folião. E pra mim, falem o que quiserem de axé-music, esse é um super hino de carnaval pra mim, uma composição brilhante de Nizan Guanaes que é quase um grito de guerra do Carnaval de Salvador, que todo mundo canta e leva multidões à loucura num coro único. E eu amo o Durval puxando We are Carnaval, por isso escolhi a versão do Asa. E vamos aproveitar porque baiano, paulista, carioca, gaúcho, mineiro, sergipano, amazonense, goiano, seja lá de onde você for, não adianta, somos brasileiros e clichê ou não, we are Carnaval.

365/34

Vem pra minha ala
Que hoje a nossa escola vai desfilar
Vem fazer história
Que hoje é dia de glória nesse lugar
Vem comemorar
Escandalizar ninguém
Vem me namorar
Vou te namorar também
Vamos pra avenida
Desfilar a vida
Carnavalizar

A Portela tem Mocidade
Imperatriz
No Império tem
Uma Vila tão feliz
Beija-Flor vem ver
A porta-bandeira
Na Mangueira tem morena da Tradição

Sinto a batucada se aproximar
Estou ensaiado para te tocar
Repique tocou
O surdo escutou
E o meu corassamborim
Cuíca gemeu
Será que era eu
Quando ela passou por mim

Carnavália (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Marisa Monte)- Tribalistas

Começou o Carnaval, época que eu amo, uma festa que os brasileiros se apropriaram e tomaram pra si e a tornaram muito características do nosso povo e por isso hoje tem a nossa cara. Com seu jeito próprio em cada canto do Brasil. E que venha a festa e que ela seja cada vez mais linda e que, ao menos em São Paulo, seja mais limpa e menos sórdida do que foi em 2012.

E para brindar essa época, uma música dos Tribalistas que está entre as minhas prediletas do trio. E que venha a festa e que nos renove de energia para o ano que começa, na prática, na semana que vem… ;)

365/33

Instagram

Simples Desejo (Daniel Carlomagno e Jair Oliveira) - Luciana Mello #mpb #lucianamello #jairoliveira

Isso é um mantra diário, sempre que algo vem pra azucrinar e tirar a minha paz. 😊 Cajuína - Caetano Veloso (mas eu gosto bem mais na voz da Gal Costa) - é uma música linda, lindíssima, curtinha e maravilhosa, que sempre, sempre, sempre me arranca lágrimas. Caetano a compôs em homenagem ao amigo Torquato Neto, que foi junto com ele um dos fundadores do Tropicalismo, e que se suicidou no começo da década de 70.  #MPB #tropicalismo #caetanoveloso #galcosta #torquatoneto Ê, povo, ê - Gilberto Gil #MPB #GilbertoGil - música que tá tocando em looping na minha semana desde domingo. Código de acesso (Itamar Assunção) - Zélia Duncan #MPB #zéliaduncan #itamarassunção Eu nunca te amei idiota (Alvin L.) - Ana Carolina #MPB #rocknacional #anacarolina Sobre o tempo (John) - Pato Fu #patofu #rocknacional #fernandatakai Dê um rolê (Moraes Moreira) - Novos Baianos #NovosBaianos #MPB Caçamba (Éfson e Odibar) - Molejo #samba #pagode #molejo Viva (Kledir Ramil) – Kleiton e Kledir #MPB #kleitonekledir
Simples Desejo (Daniel Carlomagno e Jair Oliveira) - Luciana Mello #mpb #lucianamello #jairoliveira

Isso é um mantra diário, sempre que algo vem pra azucrinar e tirar a minha paz. 😊