You are currently browsing the tag archive for the ‘Gal Costa’ tag.

Eu vou lhe avisar
Goleiro não pode falhar
Não pode ficar com fome
Na hora de jogar
Senão, um frango aqui, um frango ali
Um frango acolá

Eu vou lhe avisar (Jorge Ben Jor) – Gal Costa

É, não foi fácil, nem gostoso, nem bonito de se ver. Depois da sacolada de 7×1 da Alemanha, ainda colocamos a cereja do bolo perdendo por 3×0 pra Holanda e amargando um quarto lugar sofrível. Felipão, sem fazer mea culpa repetindo os mesmos erros e perpetuando os “seis minutos” de apagão e nos oferecendo mais um triste espetáculo. Mas ainda mais difícil, ruim e feio foi ver o comportamento da torcida no estádio. Não me surpreende muito, porque isso é aquela coisa típica de torcedor de Copa, aquele torcedor que acha que jogo é balada e mal sabe como se portar diante do time adversário ou mesmo do seu próprio time quando este está perdendo.

Podem falar a vontade que Copa é diferente, mas é muito ruim ver as pessoas agredindo o time adversário e atacando seu próprio time no momento em que ele mais tá precisando de apoio. Achei triste, ainda mais vindo do povo que canta que é brasileiro com muito orgulho, com muito amor e que bate no peito pra falar que aqui é o país do futebol. Há duas semanas, eu e Thi fomos até Salvador ver Bélgica X EUA e foi um espetáculo a parte. Os EUA que zero tem tradição em futebol, berrando até o último segundo “I believe that we will win”, mesmo vendo o time perdendo o tempo todo. Eu estava torcendo pra Bélgica, mas cerca de 90% do estádio era pró-Estados Unidos e era um fuzuê lindo de ver. Agora ver esse bando de brasileiro que nunca liga pra futebol, de quatro em quatro anos querer bradar o seu amor (bem às avessas, diga-se de passagem) pelo País e sua seleção, querer palpitar no time escalado, e aí, a qualquer derrapada, virar as costas, vaiar, queimar bandeira. Que amor é esse? Que orgulho é esse? De onde eu venho isso tem qualquer outro nome, menos amor e orgulho.

Saí do estádio triste, desanimada e decidida que nunca mais vou assistir a um jogo da seleção aqui no Brasil. É um gasto de tempo, de dinheiro e de energia pra estar ao lado de torcedores de ocasião, que mal sustentam o seu “amor” ao time.

Agora, pra Seleção Brasileira, fica uma dica: não queiram mais fazer Copa em casa não. Vocês merecem um palco e uma plateia muito melhor do que essa.

Anúncios

(Milton Nascimento)
Nós não vamos nos dispersar
Juntos é tão bm saber
Que passado o tormento
Será nosso esse chão
(Djavan)
Água, dona da vida
Ouve essa prece tão comovida
(Rita Lee)
Chega
Brinca na fonte
Desce do monte
Vem como amiga
(Coro)
Te quero água de beber, um copo d’água
Marola mansa da maré
Mulher amada
Te quero orvalho toda manhã
(Gal Costa)
Terra, olha essa terra
Raça valente, gente sofrida
(Gonzaguinha)
Chama,
(Elba Ramalho)
Tem que ter feira,
(Gonzaguinha)
Tem que ter festa,
(Gonzaguinha e Elba Ramalho)
Vamos pra vida
(Chico Buarque)
Te quero terra pra plantar,
(Chico Buarque e Fafá de Belém)
Te quero verde
(Caetano Veloso)
Te quero casa pra morar,
(Caetano Veloso e Simone)
Te quero rede
(Paula Toller e Roger)
Depois da chuva o sol da manhã
(Maria Bethânia)
Chega de mágoa,
Chega de tanto penar
(Coro)
Canto, o nosso canto,
Joga no vento
Uma semente, gente
Olha essa gente
(Elisete Cardoso)
Te quero água de beber
Um copo d’água
Marola mansa da maré
Mulher amada
(Gilberto Gil)
Te quero terra pra plantar
Te quero verde
Te quero casa pra morar
Te quero rede
(Elisete Cardoso)
Depois da chuva o sol da manhã
(Coro)
Canto e o nosso canto
Joga no tempo uma semente
(Coro)
Gente
(Roberto Carlos)
Quero te ver crescer bonita
(Coro)
Olha essa gente
(Erasmo Carlos)
Quero te ver crescer feliz
(Coro)
Olha essa gente
(Roberto Carlos e Erasmo Carlos)
Olha essa terra, olha essa gente
(Coro)
Olha essa gente
(ROBERTO CARLOS)
Gente pra ser feliz, feliz
(Coro com Tim Maia)
Te quero água de beber
Um copo d’água
Marola mansa da maré
Mulher amada
Te quero terra pra plantar
Te quero verde
Te quero casa pra morar
Te quero rede
Depois da chuva o sol da manhã
(Fagner)
Chega de mágoa
Chega de tanto penar

Chega de Mágoa (letra: Gilberto Gil/ música: Criação Coletiva) – Nordeste Já

Eu era bem pequena quando essa música foi lançada, pra ser mais precisa, eu tinha seis anos, mas me lembro do meu pai chegando em casa com aquele disquinho e fazendo a música tocar exaustivamente. Rapidamente eu já sabia o refrão e boa parte da letra. O clipe repleto de famosos foi exibido no Fantástico e anos mais tarde, quando eu tinha uns 14 anos e já era uma aficionada por MPB, fiz meu pai resgatar seu single Nordeste Já e gravá-lo pra mim numa fita.

Pois é, gente, eu tenho 32 anos (faço 33 na próxima segunda-feira), sou muito anterior ao tempo do MP3, sou antecessora do disc-man. Eu tive walk-man, galera. Fitas e mais fitas gravadas com as músicas favoritas, e nessas horas a imensa discoteca do meu pai me foi muito útil. :)

Aí o Valtinho postou uma frase de Chega de Mágoa no Twitter dele essa semana e me deu uma saudade tão grande da música, que eu fico inconformada de isso não ter sido lançado em CD. E aí eu resolvi tirar a poeira e vi que na redação tem nada mais, nada menos que 12 posts rascunhados que eu começo e não tenho tempo de concluir. Ai, ai…

Mas Chega de Mágoa mereceu esse esforço. A música foi lançada em 1985, que foi o ano da solidariedade no mundo todo. E nos Estados Unidos cantores e músicos americanos e ingleses se uniram nos projetos USA for Africa e Live AID em benefício das vítimas na fome na Etiópia. O primeiro projeto reuniu 45 grandes nomes da música pop no hit We are the world, que acabou arrecadando mais de 55 milhões de dólares.

E aqui no Brasil os artistas se mobilizaram também, só que não para ajudar a África, uma vez que eles tinham toda uma população carente e abandonada pelo governo aqui mesmo. E cansados de esperar que os governos federal e estaduais tomassem medidas para ajudar o Nordeste, os cantores, músicos e compositores se reuniram num projeto semelhante ao USA for Africa para a arrecadação de verbas em benefício da população carente do Nordeste. O projeto recebeu o nome de Nordeste Já, e foi uma realização do Sindicato dos Músicos Profissionais do Município do Rio de Janeiro, rendeu a gravação de um compacto simples com a participação de muita gente boa e consagrada que estava
disposta a dar a sua colaboração por uma causa tão nobre. Por ordem alfabética são eles: Aizik, Alceu, Alceu Valença, Alcione, Alves, Amelinha, Antônio Carlos, Aquiles (MPB-4), Baby Consuelo, Bebeto, Belchior, Beth Carvalho, Bussler, Caetano Veloso, Camarão, Carlinhos Vergueiro, Carlão, Celso Fonseca, Charlot, Chico Buarque, Cláudio Nucci, Cristina, Cristovam Bastos, Dadi, Daltro de Almeida, Dinorah (As Gatas), Dorinha Tapajós, Dori Caymmi, Ednardo, Edu, Edu Lobo, Eduardo Dusek, Elba Ramalho, Elifas Andreato, Elisete Cardoso, Elza Soares, Emilinha Borba, Eunydice, Erasmo Carlos, Fafá de Belém, Faini, Fátima Guedes, Fernando Brant, Gal Costa, George Israel, Geraldo Azevedo, Gereba, Gilberto Gil, Golden Boys, Gonzaguinha, Guilherme Arantes, Ivan Lins, Jamil, Jacques Morelembaum, Joana, João Mário Linhares, João do Vale, José Luiz, Joyce, Kleiton e Kledir, Kid Vinil, Lana, Leoni, Leo Jaime, Lúcio Alves, Luiz Avellar, Luiz Carlos, Luiz Carlos da Vila, Luiz Duarte, Luiz Gonzaga, Luiz Melodia, Lulu Santos, Magro (MPB-4), Malard, Manassés, Maria Bethânia, Marina, Marlene, Martinho da Vila, Marçal, Maurício Tapajós, Mauro Duarte, Mazola, Miguel Denilson, Mirabô, Miltinho (MPB-4), Milton Banana, Milton Nascimento, Milton Araújo, Miúcha, Moraes Moreira, Olívia Byington, Olívia Hime, O Quarteto, Paulinho da Viola, Patativa do Assaré, Paula Toller, Pareschi, Penteado, Perrotta, Perrottão, Pepeu Gomes, Raimundo Fagner, Rafael Rabello, Reinaldo Arias, Ricardo Magno, Rita Lee, Roberto de Carvalho, Roberto Carlos, Roberto Ribeiro, Roberto Teixeira, Rosane Guedes, Roger (Ultraje a Rigor), Rosemary, Rubão, Rui (MPB-4), Sandra de Sá, Sérgio Ricardo, Simone, Sílvio Cézar, Sueli Costa, Stephani, Tânia Alves, Tavito, Teo Lima, Telma, Telma Costa, Terezinha de Jesus, Tim Maia, Tom Jobim, Tunai, Verônica Sabino, Vilma Nascimento, Virgílio, Yura, Wagner Tiso, Walter, Zenilda, Zé da Flauta, Zé Ramalho, Zé Renato, Zizi Possi.

A música é linda, tocante, com vozes maravilhosas, e apesar de eu não gostar de Roberto Carlos (ainda que o Valtinho tente me catequizar), mesmo ele cai como uma luva. É soberbo, é tocante, tanto que eu não consegui selecionar um trecho e coloquei a música toda, com o nome do intérprete antes do trecho que ele cantava. O link que eu coloquei tem o clip oficial, que dá vontade de ficar assistindo em looping eterno, de tão lindo que é ver tantos gênios da nossa música reunidos dando um show (de música, arte e solidariedade). Precisamos mais de reuniões como essas, em todos os sentidos, nossos ouvidos merecem, o Nordeste merece. Obrigada Valtinho por trazer Chega de Mágoa de volta a minha lembrança. <3

Chega mais perto moço bonito
Chega mais perto meu raio de sol
A minha casa é um escuro deserto
Mas com você ela é cheia de sol
Molha tua boca na minha boca
A tua boca é meu doce é meu sal

Tema de amor de Gabriela (Tom Jobim) – Gal Costa

E hoje completamos 5 anos de namoro e tanta história juntos que jamais eu poderia colocar em um único post. Foram milhares (maybe milhões) de beijos, milhares de brigas, quase dois milhares de dias, 43 milhares de horas, 2.629.440 minutos, 157.766.400 segundos e uma vontade infinita de ficar juntos e construir um futuro ao lado do outro.

Só nós dois sabemos o tamanho do nosso amor e da nossa cumplicidade e porque encaramos tantas barreiras para estarmos juntos. E essa é a maior prova de amor que eu poderia receber nessa vida. <3

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranquila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A felicidade do pobre parece
A grande ilusão do carnaval
A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
e tudo se acabar na quarta-feira

A felicidade (Tom Jobim e Vinícius de Moraes) – Gal Costa

Hoje acordei de madrugada, sobressaltada, com a notícia do falecimento do pai de um amigo meu, muito, muito, muito querido… E, eu, como pisciana que sou, fiquei muito mexida, não consegui mais pegar no sono direito e só pensava: que merda, logo hoje pro meu carro quebrar… Estava de mãos atadas, sem carro, e querendo de qualquer jeito dar força pra ele.

Fiquei revirando na cama, dormi um sono inquieto, cheio de pesadelos e interrupções. Até que, quando acordei, falei com outra amiga querida, que mora aqui perto, e que vai me emprestar o carro pra que eu vá até o velório, enterro etc. – no ABC Paulista. É algo que eu não tinha como abrir mão, nem que eu fosse de táxi, mas eu precisava estar lá ao lado dele, como ele já esteve do meu lado na hora que precisei, assim como esteve comigo num dos momentos mais felizes da minha vida…

Mas é isso mesmo, a gente vai seguindo a vida assim, tropeçando, caindo, levantando, tomando no lombo e rindo em seguida e vamos sempre mantendo o curso. Agora tô indo pro ABC e não sei que horas volto…

Gosta de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar a criar confusões de prosódia
E uma profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa
Assim como o amor está para a amizade
E quem há de negar que esta lhe é superior?
E deixe os Portugais morrerem à míngua
“Minha pátria é minha língua”

Língua (Caetano Veloso) – Caetano Veloso e Elza Soares (mas que na voz da Gal fica bem mais legal!)

Acho que não é novidade pra ninguém o quanto eu sou apaixonada pela Língua Portuguesa. Amo muito. Tanto que me emputeço profundamente com os colonizados baba-ovo que gostam de ficar escrevendo e fazendo citações em inglês. Até porque, cá pra nós, o inglês é uma língua tão feia, tão sem glamour, gramaticalmente pobre. Depois do Português vejo também muito charme em todas línguas latinas.

E ufanista que sou da minha língua, desde bem pequena, sempre gostei dessa música que tinha o refrão “gritado” pela Elza Soares. Depois quando eu tinha 15 anos, a Gal gravou e ficou impecável… E eu como sou totalmente “a língua é minha pátria”, achei que já era mais do que hora de ter Língua por aqui. =)

Hoje não ligo a TV
Nem mesmo pra ver o Jô
Não vou sair
Se ligarem não estou
À manhã que vem
Nem bom-dia eu vou dar

Nuvem Negra (Djavan) – música que na voz da Gal Costa atinge a perfeição!

Porque pindaíbas me deixam down! E ponto.

Instagram

Simples Desejo (Daniel Carlomagno e Jair Oliveira) - Luciana Mello #mpb #lucianamello #jairoliveira

Isso é um mantra diário, sempre que algo vem pra azucrinar e tirar a minha paz. 😊 Cajuína - Caetano Veloso (mas eu gosto bem mais na voz da Gal Costa) - é uma música linda, lindíssima, curtinha e maravilhosa, que sempre, sempre, sempre me arranca lágrimas. Caetano a compôs em homenagem ao amigo Torquato Neto, que foi junto com ele um dos fundadores do Tropicalismo, e que se suicidou no começo da década de 70.  #MPB #tropicalismo #caetanoveloso #galcosta #torquatoneto Ê, povo, ê - Gilberto Gil #MPB #GilbertoGil - música que tá tocando em looping na minha semana desde domingo. Código de acesso (Itamar Assunção) - Zélia Duncan #MPB #zéliaduncan #itamarassunção Eu nunca te amei idiota (Alvin L.) - Ana Carolina #MPB #rocknacional #anacarolina Sobre o tempo (John) - Pato Fu #patofu #rocknacional #fernandatakai Dê um rolê (Moraes Moreira) - Novos Baianos #NovosBaianos #MPB Caçamba (Éfson e Odibar) - Molejo #samba #pagode #molejo Viva (Kledir Ramil) – Kleiton e Kledir #MPB #kleitonekledir
Simples Desejo (Daniel Carlomagno e Jair Oliveira) - Luciana Mello #mpb #lucianamello #jairoliveira

Isso é um mantra diário, sempre que algo vem pra azucrinar e tirar a minha paz. 😊