You are currently browsing the tag archive for the ‘Paulinho da Viola’ tag.

E lá vou eu cantando com a minha viola
O amor tem seus mistérios
Por onde me deixo levar
Laiá
Nossa história começa por lá
No engenho da fazenda
Dos cantos de “canaviá”

Bate o sino da capela
Ôi… que é dia de santo, sinhá

Tem mironga de jongueiro
O tambor me chamou pra dançar

Tempo rodou na roda do trem e veio
A inspiração do partideiro
Que versou no Mercadão
Foi nesse chão
Que a estrela brilhou no tablado
O “Madura” pisou no gramado
O malandro charmoso dançou
No pagode com outro gingado
Quando o bloco chegou
Agitou o suingue do black
E a nega baiana girou

Cai na folia, sem grilo, meu bem vem na fé
Na ilusão da fantasia
Vai como pode quem quer

Surgiu a serrinha imperial
Em outros caminhos para o mesmo ritual
Portela, meu orgulho suburbano
Traz os poetas soberanos nesse trem para cantar
Que Madureira é muito mais do que um lugar
É a capital de um sonho que me faz sambar

Abre a roda, chegou Madureira
A poeira já vai levantar
O batuque ginga ioiô
Ginga iaiá

Madureira… Onde o meu coração se deixou levar (Wanderley Monteiro, Luiz Carlos Máximo, André do Posto 7 e Toninho Nascimento) – G.R.E.S. Portela

Minha Portela fechou ontem o primeiro dia de desfile do Rio, e foi lindo!!! É gritante o quanto há uma diferença dela pra várias outras escolas grandes que fizeram enredos patrocinados, o quanto as alegorias eram mais simples, mas o que ninguém tira da Portela é o amor e o envolvimento da comunidade ao seu redor, e isso é ímpar. Um enredo lindo, contando a história do bairro onde a escola surgiu, e fazendo uma justa homenagem a Paulinho da Viola, que completa 70 anos. A escola toda cantando, dançando, emocionada. E a gente ainda tem a primeira e única Velha Guarda de verdade, figuras lindas e icônicas emocionando todo portelense: Monarco, Suriquinha, Dodô e tantos outros que fazem parte da história desse amor em azul e branco.

Eu acho que a gente não leva, que ficaremos mais um ano na fila, mas acho que o desfile foi lindo, emocionante e em vários momentos trouxe lágrimas aos meus olhos e por isso abre a roda, chegou Madureira… <3

365/37

Anúncios

Não sou eu quem me navega
Quem me navega é o mar
Não sou eu quem me navega
Quem me navega é o mar
É ele quem me carrega
Como nem fosse levar
É ele quem me carrega
Como nem fosse levar

Timoneiro nunca fui
Que eu não sou de velejar
O leme da minha vida
Deus é quem faz governar
E quando alguém me pergunta
Como se faz pra nadar
Explico que eu não navego
Quem me navega é o mar

Timoneiro – Paulinho da Viola

Paulinho da Viola é um primor, um gênio, um verdadeiro príncipe do samba. E com ele e com Timoneiro eu aprendi uma das mais duras lições dessa vida, que não sou eu quem me navego, quem me navega é o mar.

Curiosamente, desde muito nova eu já tinha minha vida muito bem traçada e planejada, era das poucas que, desde a 8ª série já sabia para o que ia prestar vestibular e tinha a vida toda planilhada. Como se nada pudesse dar errado e interferir nos meus planos. O duro mesmo foi ver o quanto o acaso interfere no que você planejou.

Tem dia que bate uma deprê, quando paro pra fazer um balanço e vejo que sou 0% do que tinha sonhado ser quando tinha 16 anos. Porém, o que a gente precisa parar pra pensar é que isso não é necessariamente ruim. A gente só precisa estar aberto e lidar bem com acaso, saber se deixar pela maré e deixar o mar te navegar. Acho que assim fica mais fácil encarar a vida, porque já que não tem jeito mesmo, a gente tem que dar um jeito de encarar os altos e baixos de cada onda e seguir em frente.

365/23

Eu canto samba
Por que só assim eu me sinto contente
Eu vou ao samba
Porque longe dele eu não posso viver
Com ele eu tenho de fato uma velha intimidade
Se fico sozinho ele vem me socorrer
Há muito tempo eu escuto esse papo furado
Dizendo que o samba acabou
Só se foi quando o dia clareou

Eu canto samba – Paulinho da Viola

Post expresso, só pra não quebrar o lance de uma música por dia. Muita coisa boa aconteceu hoje e eu precisaria de mais tempo para partilhar, mas prometo fazer isso amanhã. A escolha de hoje é simples: é samba, é Paulinho da Viola e tem um astral excelente. Precisa de mais? Paulinho da Viola, príncipe do samba, compositor e sambista da melhor categoria e quem tem em mim uma enorme fã. Por hoje curtam a letra e a melodia, que amanhã eu volto mais tranquila. ;)

365/09

Hoje eu quero apenas
Uma pausa de mil compassos
Para ver as meninas
E nada mais nos braços
Só este amor
Assim descontraído

Para ver as meninas (Paulinho da Viola)- Marisa Monte (na voz do Paulinho também é incrível, mas eu gosto mais com a Marisa cantando)

Hoje, 27 de julho é aniversário das minhas primas, Lana e Raíssa: amadíssimas, filhotinhas que aguçaram meu instinto maternal. Lindas! E tão mocinhas, que hoje completam 11 anos e cada vez mais reforçam aos nossos olhos que, por mais que sejam idênticas fisicamente, são duas pessoas muito diferentes com gostos, personalidades e desejos totalmente distintos.

A elas desejo a cada dia da minha vida o melhor que se pode querer a alguém, e que sejam felizes, bem sucedidas em qualquer caminho que trilharem e que continuem sempre sendo essas duas pessoas incríveis que me fizeram amá-las desde o primeiro momento em que botei os olhos nelas.

Parabéns minhas lindas!!! Amo vocês demais…

Quando a Portela chegou
A platéia vibrou de emoção
Suas pastoras vaidosas
Defendiam orgulhosas
O seu pavilhão

Portela
A luta é teu ideal
O que se passou, passou
Não te podem deter
eu destino é lutar e vencer

Óh, minha Portela
Por ti darei minha vida
Óh, Portela querida

Oh, minha Portela
Por ti darei minha vida
Oh, Portela querida

És tu quem levas a alegria
Para milhares de fãs
És considerada, sem vaidade

Na cidade
Como super campeã das campeãs

Eu quisera ter agora
A juventude de outrora
Idade de encantos mil

Pra trilhar contigo passo a passo
No sucesso ou no fracasso
Pela glória do samba do Brasil

O Ideal É Competir (Casquinha da Portela) – Paulinho da Viola

Na torcida com toda a força do meu coração – “Oh, minha Portela, por ti darei minha vida, oh, Portela querida”. A apuração vai começar e eu vou ficar aqui de dedos cruzados e já digo, que se não for pra minha Portela ganhar, que seja a Unidos da Tijuca que arrasou com o enredo sobre o segredo…

Antigamente era Paulo da Portela
Agora é Paulinho da Viola
Paulo da Portela, nosso professor
Paulinho da Viola, o seu sucessor
Vejam que coisa mais bela
O passado e o presente
Da nossa querida Portela

Paulo, com sua voz comovente
Cantava ensinando a gente
Com pureza e prazer
O seu sucessor na mesma trilha
É razão que hoje brilha
Vaidade nele não se vê
Ó Deus, conservai esse menino
Que a Portela do seu Natalino
Saúda com amor e paz
Quem manda um abraço é Rufino
Pois Candeia e Picolino lhe desejam muito mais

De Paulo da Portela a Paulinho da Viola

Carnaval chegou e hoje vou falar um pouco sobre um amor específico que sinto, que é intimamente ligado ao carnaval…

Do meu pai, nessa vida, herdei alguns amores – ainda que a grande frustração dele seja eu não ter herdado o amor pelo “Bahêa”. Mas com ele aprendi a amar o mar (e me doer tanto viver numa cidade cinza e sem praia), ao Palmeiras (que virei uma fanática de carteirinha e para quem ele vem perguntar sobre as novidades), ao Botafogo (e ao estilo moleque de Guarrincha), ao Rio de Janeiro e, às paixões que são o motivo desse post, ao samba e à Portela. Curiosamente, desde a infância minhas cores prediletas são azul e branco (até os bem-casados do meu casamento sabem disso… =D).

Pequenininha eu aprendi a amar a Portela, nem sabia direito o que era Carnaval, mas tava lá, na frente da TV, acompanhando os desfiles e torcendo loucamente. E ainda bem pequena, vi a escola rachar e dar origem à Tradição, lado para o qual meu pai chegou a se bandear, mas de onde acabou voltando. Já eu, achava estranho eu ser Portela e ter que mudar, e na minha cabeça de criança, ainda dizia que era Portela. Do alto dos meus 5 anos, já sabia que eu nunca ia gostar da postura “vira-casaca” – hehehe.

E assim segui, apaixonada pela Azul e Branco, pela águia e pela Velha Guarda da escola (que sempre me faz chorar – amo Monarco e Tia Surica), e nunca, seja lá o horário que passe, deixei de assistir a um desfile da minha Portela querida. Porém, como sou uma paulistana requenguela, ainda não tive o prazer de assistir ao vivo e em cores, diretamente da Sapucaí esse espetáculo de encher os olhos e a alma. Mas não morro sem ver minha Portela de pertinho. O ano passado, nessa mesma época, eu postei Foi um rio que passou em minha vida, bradando que “meu coração tem mania de amor, amor não é fácil de achar”. E comprovo que não é mesmo e que quando vem, vem pra ficar…

PS: Um dos momentos mais marcantes e emocionantes da minha carreira como jornalista foi em 2004 quando eu entrevistei o Monarco – um grande ídolo e uma pessoa incrível, simples, antencioso. Um fofo! Eu que já gostava dele, passei a gostar 10 vezes mais… =D

É comum a gente sonhar, eu sei, quando vem o entardecer
Pois eu também dei de sonhar um sonho lindo de morrer
Vejo um berço e nele eu me debruçar com o pranto a me correr
E assim chorando acalentar o filho que eu quero ter

O filho que eu quero ter (Toquinho/ Vinícius de Moraes) – Paulinho da Viola

Música maravilhosa, que faz parte da trilha sonora do especial A Arca de Noé (marco da minha infância) e que eu sempre amei. E foi daí que tirei o nome do meu futuro filho, uma vez que o nome completo da música tem um nome antes, que foi o nome que o próprio Vinícius de Moraes deu ao seu filho.

Além de ter convivido de perto com o Luquinhas (filho da Lelê), hoje depois de conhecer o João, sobrinho do Wandeko, que é toda a fofura em forma de um pequeno de 5 anos. E pensar que antes eu só queria uma menina, até brincava que se tivesse menino daria pra adoção (ai, que maldade!). Mas de uns tempos pra cá eu tenho visto e convivido com tantos meninos lindos, fofos, gostosos, cute-cute que agora eu quero ter um menino mais que tudo…

Solidão, palavra
Cavada no coração
Resignado e mudo
No compasso da desilusão…

Viu!
Desilusão, desilusão
Danço eu, dança você
Na dança da solidão

Dança da Solidão – Paulinho da Viola (mas na voz da Marisa Monte também é uma delícia)

Dizem que o pior tipo de solidão é aquele que você sente quando está no meio de uma multidão. Voilá! Essa sou eu hoje: milhares e milhares de pessoas ao meu redor e eu me sentindo a mais solitária das criaturas. Mas é isso, logo mais aparece um rouxinol e eu fico bem novamente… =)

Eu canto samba
Porque só assim eu me sinto contente
Eu vou ao samba
Porque longe dele eu não posso viver
Com ele eu tenho de fato uma velha intimidade
Se fico sozinho ele vem me socorrer

Há muito tempo eu escuto esse papo furado
Dizendo que o samba acabou
Só se foi quando o dia clareou
Há muito tempo eu escuto esse papo furado
Dizendo que o samba acabou
Só se foi quando o dia clareou

Eu Canto Samba – Paulinho da Viola

Essa é uma das minhas músicas favoritas na vida… Mesmo. E hoje, lá no Twitter vi o @inagaki dizer que era Dia do Samba, portanto, nada melhor do que uma música do meu sambista predileto, que também é da minha Portela, escola do meu coração. Samba (the real one) está entre os ritmos mais gostosos de se ouvir e de se dançar. Samba de qualidade, hoje em dia é pedra rara, mas há muita jóia produzida por aí e cabe a nós apurar nossos ouvidos e nos entregar a essa delícia. =)

E viva o Dia do Samba!

Se um dia meu coração for consultado
Para saber se andou errado
Será difícil negar

Meu coração tem mania de amor
Amor não é fácil de achar
A marca dos meus desenganos ficou, ficou
Só um amor pode apagar

Porém (ai, porém)
Há um caso diferente que marcou num breve tempo
Meu coração para sempre
Era dia de carnaval

Carregava uma tristeza
Não pensava em outro amor
Quando alguém que não me lembro anunciou:
Portela! Portela!
O samba trazendo alvorada
Meu coração conquistou

Foi um rio que passou em minha vida – Paulinho da Viola

Uma homenagem singela à minha amada Portela, que não ganhou, mas ficou em 3º lugar e sempre faz meu coração bater apertado e me arranca lágrimas dos olhos. Paulinho da Viola e Velha Guarda da Portela sempre conseguem me emocionar (muito) e foi uma das melhores coisas que meu pai me ensinou a amar. =)

Instagram

Simples Desejo (Daniel Carlomagno e Jair Oliveira) - Luciana Mello #mpb #lucianamello #jairoliveira

Isso é um mantra diário, sempre que algo vem pra azucrinar e tirar a minha paz. 😊 Cajuína - Caetano Veloso (mas eu gosto bem mais na voz da Gal Costa) - é uma música linda, lindíssima, curtinha e maravilhosa, que sempre, sempre, sempre me arranca lágrimas. Caetano a compôs em homenagem ao amigo Torquato Neto, que foi junto com ele um dos fundadores do Tropicalismo, e que se suicidou no começo da década de 70.  #MPB #tropicalismo #caetanoveloso #galcosta #torquatoneto Ê, povo, ê - Gilberto Gil #MPB #GilbertoGil - música que tá tocando em looping na minha semana desde domingo. Código de acesso (Itamar Assunção) - Zélia Duncan #MPB #zéliaduncan #itamarassunção Eu nunca te amei idiota (Alvin L.) - Ana Carolina #MPB #rocknacional #anacarolina Sobre o tempo (John) - Pato Fu #patofu #rocknacional #fernandatakai Dê um rolê (Moraes Moreira) - Novos Baianos #NovosBaianos #MPB Caçamba (Éfson e Odibar) - Molejo #samba #pagode #molejo Viva (Kledir Ramil) – Kleiton e Kledir #MPB #kleitonekledir
Simples Desejo (Daniel Carlomagno e Jair Oliveira) - Luciana Mello #mpb #lucianamello #jairoliveira

Isso é um mantra diário, sempre que algo vem pra azucrinar e tirar a minha paz. 😊